/  Coletâneas SBGGRJ / Notícias / Alimentação saudável para idosos

Alimentação saudável para idosos

Um bom padrão alimentar representa um dos principais determinantes para um envelhecimento saudável, desempenhando um papel importante para um estilo de vida com adequado funcionamento físico e mental.

As recomendações nutricionais para os idosos envolvem a oferta de uma alimentação equilibrada e variada que seja rica em fontes de carboidratos complexos, frutas e vegetais fornecendo fibras, compostos bioativos e antioxidantes, fontes proteicas de boa qualidade, gorduras de boas fontes alimentares e ingestão hídrica adequada.

Alguns alimentos possuem propriedades antioxidantes e antiinflamatórias, além da importância do cálcio e vitamina D, a ingestão de proteína para evitar perda muscular, a influência da gordura nas doenças cardiovasculares e os alimentos que influenciam positivamente as alterações do sistema imunológico que ocorrem com o envelhecimento. Sobre a saúde intestinal, devemos valorizar a oferta de prebióticos e probióticos, substâncias que protegem o aparelho digestivo do ataque de fungos e bactérias nocivos e desempenham efeitos benéficos à saúde humana.

Para idosos em risco nutricional, é importante ainda considerar suplementos alimentares modificados em densidade energética e proteica, aporte adequado de gorduras, vitaminas e minerais, para atingir os requerimentos nutricionais diários dos idosos.

Além disso, podemos destacar a importância das medidas associadas ao preparo das refeições diárias como cuidados na compra, armazenamento e manuseio dos alimentos. Em relação ao consumo dos alimentos e refeições, é oportuno fazê-lo em locais agradáveis, após higienização das mãos, distribuir a alimentação diária em cinco ou seis refeições, estimular o entrosamento social, evitar o uso de sal e açúcar de adição, favorecer o prazer à mesa, orientar a pessoa idosa a mastigar bem os alimentos, cuidar da saúde bucal, estimular a busca e o consumo da água entre as refeições e estar atento à temperatura de consumo dos alimentos.

Ademais, é essencial fornecer orientações de forma a auxiliar a autonomia da pessoa idosa tais como: simplificar a colocação da mesa para as refeições, promover contrastes de cor entre a toalha de mesa e os utensílios bem como selecionar os utensílios mais adequados.

Dicas gerais para alimentação saudável do idoso

Procurar ter uma alimentação equilibrada e variada rica em:

► fontes de carboidratos complexos e fibras (cereais integrais como aveia, arroz integral, centeio, cevada, trigo integral, amaranto, quinoa);

► leguminosas (feijões, grão de bico, lentilha, ervilha);

► tubérculos (batatas, inhame, cará, aipim);

► frutas e vegetais diversos;

► oleaginosas (nozes, avelã, castanhas, macadâmia, amêndoa);

► fontes proteicas de boa qualidade (ovo, carnes vermelhas magras e carnes de frango e peixe);

► gorduras de boas fontes alimentares (peixes, óleos vegetais, nozes, sementes, abacate, chocolate amargo);

► ingestão adequada de líquidos;

► prebióticos: hortaliças, sementes ou raízes (chicória, cebola, alho, alcachofra, aspargo, cevada, centeio e grão-de-bico);

► probióticos: iogurte, kefir, chocolate amargo, ervilha, pão fermentado, kombucha, missô.

É importante a manutenção por parte da família e dos profissionais de saúde uma atitude de vigilância do estado nutricional de forma a identificar se há perda ou ganho de peso no idoso, que podem impactar na saúde global.

Renata Amorim

Nutricionista Titulada em Gerontologia pela SBGG

Comissão de Gerontologia da SBGG-RJ

Notícias relacionadas

Notícias
Nota de Repúdio

A Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia – Seção Rio de Janeiro (SBGG-RJ) emite nota pública de repúdio

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios assinalados*